domingo, 26 de julho de 2009

NONSENSE: um parágrafo e seis palavras


Logo que voltei da Índia li "Comer, Rezar e Amar" de Elizabeth Gilbert. Antes da minha viagem muita gente já tinha me sugerido esta leitura, mas eu relutei, achando que a história era clichê e que não me ofereceria nada de novo, nada muito além do que eu já conhecia sobre Índia e tal. Mas, na volta, no processo de retorno ao meu mundinho convencional, topei ler.

Gostei, principalmente por ser um livro de memórias, me senti compartilhando com a autora as experiências vividas na Itália e na Índia. (diga-se de passagem que, assim como ela, iniciei minha viagem pela Itália e também me empanturrei com mil delícias!) Além do mais, E. Gilbert escreve com leveza e tem um ótimo senso de humor.

Mas o que mais me tocou no livro foi um parágrafo. Resume tudo. Foi como se a autora estivesse me descrevendo. Impressionante. Como se ela me conhecesse e compartilhasse comigo as mesmas buscas, a mesma angústia, a mesma ânsia de quem quer sair pelo mundo bebendo de todas as águas possíveis, estudando, aprendendo, conhecendo o novo e o inusitado. Me vi ali naquele parágrafo. Como se fossemos velhas amigas trocando confidências:

"Durante estes últimos anos, passei muito tempo perguntando-me o que devo ser. Esposa? Mãe? Amante? Celibatária? Italiana? Glutona? Viajante? Artista? Iogue? Mas não sou nenhuma destas coisas, pelo menos, não completamente. E também não sou a maluca da Tia Liz (Sil). Sou apenas uma arisca antevasin - nem isso nem aquilo - uma aprendiz de fronteira em eterna mutação, próxima à floresta maravilhosa e assustadora do novo."

Sim, Liz, eu também. (É engraçado porque também ouvi tantas vezes da minha mãe e da minha irmã: "Ai Silvia, só você mesmo; é doida..." - até nisso!)

E o parágrafo ficou aqui guardado, esperando aparecer a inspiração certa para que eu pudesse escrever sobre ele.

Como nada é por acaso, hoje, navegando por aí nos blogs alheios, tive a grata surpresa de me deparar com o post que me trouxe a inspiração. Do blog "Qualquer dia aparece um título genial" (já linkado aí do lado)e aliás, ele todo muitíssimo inspirado, o post "Só seis".

O autor, Fernando, propõe descrever uma pessoa com apenas seis palavras. Ele mesmo, cheio de criatividade, descreveu algumas - o Obama, o Caetano, o Amir Klink. Genial mesmo. E assim, fui convidada a me resumir em seis palavras: daí a inspiração.

Sem o talento da Liz e do Fernando, me resumi:

"Vida? Sigo plena inventando uma nova !"

Por isso sou indiana e italiana, esposa e amante, médica e paciente, iogue e mundana. Por isso sou meio vegetariana. Meio hindu. E ainda assim, não deixo nada pela metade. Na minha vida cabem muito mais "E"s do que "OU"s. Porque tem que ser isso ou aquilo, assim ou assado? Não é uma questão de dúvida ou de não conseguir decidir, apesar de aparecer assim aos olhos da maioria. É simplesmente a antiga questão de ter liberdade para experimentar. Só é livre quem experimenta. Livre para ir lá, do outro lado da fronteira, experimentar e voltar, trazendo na alma todas as impressões, para que a vida se faça nova mais uma vez! Isto é plenitude!
(foto: me clicaram sendo meio hindu... rs...)

Om Shanti!

5 comentários:

angela disse...

E isso mesmo, ir e poder voltar trazendo consigo o que viveu e assim ir virando outra, como a água do rio,sempre outra.
beijos

RosanAzul disse...

Lindo lindo teu blog e tuas palavras nas experiências aqui impressas e expressas!
Fiquei feliz de encontrar esse recanto!! Beijos Luz!
Te convido a visitar o meu!
http://rosanasouzanasasasdoanjoazul.blogspot.com/

Fernando disse...

Mto obrigado pelo comentario e elogio.

Vou passar aqui mais vezes, e ler o livro citado no seu texto. Dei de presente recentemente para a minha avó. Coincidência.

Bjo

Quem é ela? disse...

Aguçou minha curiosidade de ler este livro! Já está na lista!
Mil beijos!

Dalva M. Ferreira disse...

Eu já nem faço mais lista, gente. É taaanta coisa que eu quero/preciso ler!

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

Médica formada na Faculdade de Medicina do ABC em 1999. Fez residência em Pediatria na Escola Paulista de Medicina – UNIFESP até 2002.

Especializou-se em Homeopatia pela Escola Paulista de Homeopatia, atual ICEH, de 2003 a 2005.

Seu interesse em Ayurveda nasceu com o início das práticas de Yoga em 2002. Em 2007, fez o módulo I de formação em Yoga com Pedro Kupfer. Em 2008 concluiu a formação em Ayurveda na Clínica Dhanvantari em São Paulo, com Dr. Luiz Guilherme Corrêa Neto.

Na Índia, fez estágio em Ayurveda e Pregnancy & Baby Care na “School of Ayurveda & Panchakarma”, Kannur, Kerala, em Janeiro de 2009 e no Arya Vidya Peetam Trust, AVP Hospital, Coimbatore, em janeiro de 2010.

Atualmente trabalha na em seu consultório, atendendo a consultas de Pediatria e Puericultura, permeadas pela Homeopatia, pelo Ayurveda e pela sua bagagem de maternagem.

Escreve o blog PEDIATRIA INTEGRAL no Portal de maternidade ativa Vila Mamífera.

TODOS SOMOS UM