segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

NONSENSE: e pesou o lado italiano!

Tarde de chuva hoje em São Paulo... (novidade, este mês só chove por aqui...) E, como combinado previamente com a minha mãe, deixei de ir dar plantão só para passar a tarde toda fazendo STRUFFOLI!

Struffoli é um docinho de Natal, que eu e minha familia,devido ao irrefutável background italiano, fazemos TODO, mas T-O-D-O final de ano. Já que viajo dia 25 para a Índia, estou me dando o direito de curtir o Natal bem antecipadamente. Para a nossa família está é realmente uma data especial. Apesar dos presentes e da comilança típicas de natal, a nossa curtição vai além disso, lembrando e revivendo os ótimos natais que sempre tivemos... prezando a memória dos que já se foram e agradecendo as bençãos que até hoje recebemos! O Natal é uma grande celebração para a Famiglia Gioielli!

O lado italiano vem da familia do meu pai. Mas minha mãe, logo que se casou, começou a se interessar pela cozinha italiana. As tias do meu pai, Angelo, irmãs dos meu avô Antonio, (Gracia, Anita e Luisa), eram grandes cozinheiras.

Quando eu e minha irmã éramos pequenas, eu devia ter uns 9 ou 10 anos, minha mãe chamou a Tia Luiza, naquela época já uma senhora, para passar a  tarde em casa, nos ensinando a fazer Struffoli. Aprendemos e desde então, nunca deixamos de fazer!

Meu avô delirava! Acho que ele ficava orgulhoso da única nora, que aprendeu a fazer este doce tipicamente napolitano, e aderiu fielmente à tradição da famiglia.

Hoje os dias estão muito mais corridos. Mas nós não conseguimos deixar de fazer os Struffoli, principalmente para lembrar do meu avô e da euforia que ele ficava na época de Natal! Como ele se deliciava com a fartura da mesa, a variedade de coisas que ele comprava nas suas idas ao Mercado Municipal... de onde ele sempre voltava com um sorrizão, uma sacolona e cantarolando: "tchan-tchan-tchan-tchan"... fazendo mistério sobre o que estava mais bonito e farto desta vez: azeitonas, gorgonzola, aliche...que saudade do meu vô!

A Tia Luisa é a única filha da Nona Anita que ainda está viva... velhiiiinha... mas tão velhiiiinhaaaa.... meus pais foram no ainversário dela de 95 anos há uns 3 anos atrás... e ela continua aí, mas, tadinha, em outra estratosfera, pois ela não reconhece mais ninguém. Ô dó!

Mas em memória do meu Vô Antonio e em homenagem à Tia Luisa e a toda a italianada da famiglia, hoje eu e minha mãe preparamos 2kg de massa, inúmeras minhoquinhas com ela, picamos em trocentos pedacinhos iguais, como mini-nhoquis...



 fritamos todos até atingirem a mesma cor dourada, e por último, passamos os mini-nhoquizinhos no mel! Até o ponto absolutamente certo, em que as bolinhas ficam todas grudadas por causa do mel. E a melhor parte é quando a gente estende as bolinhas melecadas no mármore da pia para esfriar.... depois, foi só acondicionar nas latas, e jogar um pouquinho de confeito em cima para ficar com aquela carinha típica italiana!

O ficou bastante parecido com este....




Dolce tipico della tradizione natalizia, gli struffoli sono piccole palline fritte ricoperte di miele e pezzettini di buccia di agrumi...belli da vedere e ottimi da mangiare!

E aqui, segue a receita:
 
RICETTA DEGLI STRUFFOLI


Ingredienti:

- Farina 600 gr ,
- Uova 4 + 1 tuorlo,

- zucchero 2 cucchiai ,
- burro 80 gr (una volta si usava lo strutto: 25 gr.)
-Scorza di mezzo limone grattuggiata
- Sale un pizzico
- olio (o strutto) per friggere

Per condire e decorare:
-Miele 400 gr ,
-confettini colorati (a Napoli si chiamano "diavulilli")
-confettini cannellini (confettini che all'interno contengono aromi alla cannella)


Questa è la ricetta tradizionale caratterizzata dall'assenza di lievito e struffoli particolarmente croccanti. Nel caso si preferiscono più gonfi, si può aggiungere all'impasto un pizzico di bicarbonato o di ammoniaca per dolci. In questo caso, la pasta deve riposare alcune ore.


Procedimento:


Disponete la farina a fontana sul piano di lavoro, impastatela con uova, burro, zucchero, la scorza grattugiata di mezzo limone,un bicchierino di rum e un pò di sale. Ottenuto un amalgama omogeneo e sostenuto, dategli la forma di una palla e fatelo riposare mezz'ora. Poi lavoratela ancora brevemente e dividetela in pallottole grandi come arance, da cui ricavare, rullandoli sul piano infarinato, tanti bastoncelli spessi un dito; tagliateli a tocchettini che disporrete senza sovrapporli su un telo infarinato.


Al momento di friggerli, porli in un setaccio e scuoterli in modo da eliminare la farina in eccesso.


Friggeteli pochi alla volta in abbondante olio bollente: prelevateli gonfi e dorati, non particolarmente coloriti. Sgocciolateli e depositateli ad asciugare su carta assorbente da cucina.


Fate liquefare il miele a bagnomaria in una pentola abbastanza capiente, toglitela dal fuoco e unite gli struffoli fritti, rimescolando delicatamente fino a quando non si siano bene impregnati di miele. Versare quindi la metà circa dei confettini e della frutta candita tagliata a pezzettini e rimescolare di nuovo.


Prendete quindi il piatto di portata, mettetevi al centro un barattolo di vetro vuoto (serve per facilitare la formazione del buco centrale) e disponete gli struffoli tutt'intorno a questo in modo da formare una ciambella. Poi, a miele ancora caldo, prendete i confettini e la frutta candita restanti e spargetela sugli struffoli in modo da cercare di ottenere un effetto esteticamente gradevole.


Quando il miele si sarà solidificato, togliete delicatamente il barattolo dal centro del piatto e servite gli struffoli.



BUON  NATALE E TANTI AUGURI PER TUTTI LA FAMIGLIA!!!!




Om Shanti!

ps: pena que não pude fotografar o nosso, estas fotos e a receita eu tirei da internet... mas, modéstia à parte, meu struffoli ficou beeemmm mais bonito! rs..

Um comentário:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Parece ter ficado excelente! Apesar da origem japa, sou neto de italiano tb. Minha avó.
Uma delícia hein. Adorei!

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

Médica formada na Faculdade de Medicina do ABC em 1999. Fez residência em Pediatria na Escola Paulista de Medicina – UNIFESP até 2002.

Especializou-se em Homeopatia pela Escola Paulista de Homeopatia, atual ICEH, de 2003 a 2005.

Seu interesse em Ayurveda nasceu com o início das práticas de Yoga em 2002. Em 2007, fez o módulo I de formação em Yoga com Pedro Kupfer. Em 2008 concluiu a formação em Ayurveda na Clínica Dhanvantari em São Paulo, com Dr. Luiz Guilherme Corrêa Neto.

Na Índia, fez estágio em Ayurveda e Pregnancy & Baby Care na “School of Ayurveda & Panchakarma”, Kannur, Kerala, em Janeiro de 2009 e no Arya Vidya Peetam Trust, AVP Hospital, Coimbatore, em janeiro de 2010.

Atualmente trabalha na em seu consultório, atendendo a consultas de Pediatria e Puericultura, permeadas pela Homeopatia, pelo Ayurveda e pela sua bagagem de maternagem.

Escreve o blog PEDIATRIA INTEGRAL no Portal de maternidade ativa Vila Mamífera.

TODOS SOMOS UM