terça-feira, 16 de agosto de 2005

SAIBAM: a pedidos, mais sobre música indiana e mantras

Posted by Picasa

Como já disse, nada cai na minha mão por acaso. Nem livro, nem CD, nem DVD. Sobre "Quando Nietzsche Chorou" já publiquei, mas esqueci de deixar o link - aí vai: Quando Nietzsche Chorou

Sobre o CD do Coldplay, que também não caiu em minhas mãos por acaso, já publiquei alguma coisa e aí vai o link: Coldplay X&Y Este, ainda está meio dolorido de ouvir, por razões cardíacas... mas é E-S-P-E-T-A-C-U-L-A-R!

Enfim, mais sobre música indiana... bom, como já disse, a prática que participei na última sexta foi de música devocional, onde se recita mantras, de uma forma bastante repetitiva, a fim de esvaziar a mente dos pensamentos comuns e alcançar algo mais elevado. É o kirtan, o ioga devocional. Canta-se para vários deuses hindus, como já disse, Shiva, Krishna, Kali, Durga etc.

O mantra OM é o mantra universal. Sabe a história do início do mundo contada na nossa Bíblia- o Gênesis? Lá conta: "E Deus disse: exista a luz. E a luz existiu. (...) disse também Deus: faça-se o firmamento..." e etc. então OM é isso - é o verbo, o som priomordial, o som que antes dele só havia o silêncio. É o mais poderoso de todos os mantras e também a matriz, o início de todos eles. Quando se escreve OM em Devanagari (o alfabeto hindu), ele vira um Yantra, ou seja, um símbolo gráfico para representar todo o seu significado. Todo mundo conhece:

Nos mantras também temos palavras como NAMAH, que é uma interjeição de saudação, como NAMASTE. Portanto OM NAMAH já começa a fazer sentido...

Que mais? JAYA, (pronuncia-se djéia) é também uma interjeição de saudação, mas significa vitória. ex: "Durga, jaya, jaya!" Durgá é um dos nomes de Shaktí, a esposa de Shiva. De jaya, tem o ujjai pranayama, exercício respiratório para ativar a circulação de energia no corpo, usando principlamente no Ashtanga Yoga. Vê como as coisas são interligadas?

Existem sons como Ram, Ham, So Ham e outros que são sons sementes (bindí, que também é o nome daquela pedrinha que as indianas põe na testa) responsáveis por ativar determinados chakras quando são recitados. Portanto ao recitar "Ram Ram Sitaram" por exemplo, como fizemos com Krishna Das, estamos ativando o manipura chakra (chakra do umbigo).

E tem, muita, mas muita coisa mais... para não se perder na contagem dos mantras, utiliza-se o Japa mala, um cordão de 111 contas, se não me engano, usado também pelos budistas tibetanos, sabe? Estou usando o meu na foto com Krishna Das logo abaixo...

Para quem está a fim de mergulhar nos mantras e praticar kirtan aí vai a dica:

Pilgrim Heart, Krishna Das

É uma forma bem ocidental de ouvir mantras, inclusive com uma música em inglês, (todas as outras em sâncrito), com uma mistura de samples, instrumentos indianos como a cítara, tablas, harmonica e outros. E claro, a voz poderosíssima de Krishna Das.

A outra parte da musicalidade indiana é a música clássica: as rapisódias e os concertos e solos de cítara. A orquestra indiana é totalmente diferente da nossa, instrumentos estranhíssimos, moringas, tablas, muita percussão. Vários tipos de flautas, intrumentos de cordas, um tipo de um xilofone... sei lá, muito doido. O melhor exemplo vivo da música clássica indiana é Ravi Shankar, que já está bem velhinho.... Um brasileiro que é um exímio citarista é Alberto Marsicano, que já tive o prazer de me deliciar com uma apresentação dele junto com meu amigo Carlo, em 94 (95?) Os dois CDs dele, "Quintessência" e "Eletric Sitar" são altamente recomendáveis. O primeiro ´so cítara e percussão. O segundo, com uma veia eletrônica, tipo lounge.

Alberto Marsicano, Eletric Sitar

Aqui, páro para agradecer meu amigo Carlo, de coração. Ele me fez comprar o DVD "Concert for George". Reclamei do preço, ele disse: "compra que você vai amar, é fudido!" Bom, AMEEEEEEEIIII de coração! Tem um concerto, com a orquestra indiana INTEIRA, coral e tudo, sob regência de Anoushka Shankar, filha do Ravi. Solo de cítara com ela, que toca como uma deusa... bom.. para quem não lembra Georege Harrison foi discípulo de Ravi Shankar e foi responsável pela introdução de citara e essas notas indianas em algumas músicas dos Beatles (como em "My Sweet Lord", que não deixa de ser uma cântico devocional). DELÍRIO PURO!!! Fora as participações especiais de deuses como Eric Clapton, Paul McCarteney entre outros.

Compartilhe comigo desta emoção... Acenda um incenso e transcenda!!!!!!!!

Concert for George

OM SHANTI!!!!

2 comentários:

Dalva disse...

rapisódia, páro, Paul MacCarteney, Georege Harrison... corrija lá, my friend, que você datilografou errado.
(aquelas que ficam lendo prá pôr defeito rsrs) Mas não é isso não, my friend, é de coração puro, para que seu texto fique ainda mais bonito. Eu gostei muito de seu blog! Acabo de conhecer o Krishna Das, através do Ravi Shankar, e baixei uma música dele no Shareaza, a "Govinda Hare, Gopala Hare"... nossa! os caras sabem das coisas, não é?

Beijos da Dal (venha me visitar também! fale-me mais de sua yoga)

http://www.palomadawn.blogspot.com

Jagannath disse...

Querida amiga, bonito teu blog sobre yoga meditação e mantras, eu tambem tenho trabalho com estas coisas maravilhosas de instrumentos indianos, culinária vegetariana com sabor da India, e amo tudo isto de Krishna das, kirtans, bhajans!!! Radhe Govinda.
Aqui deixo meus contatos! parabens pela amorosidade!
www.namaom.com
Jagannath

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

Médica formada na Faculdade de Medicina do ABC em 1999. Fez residência em Pediatria na Escola Paulista de Medicina – UNIFESP até 2002.

Especializou-se em Homeopatia pela Escola Paulista de Homeopatia, atual ICEH, de 2003 a 2005.

Seu interesse em Ayurveda nasceu com o início das práticas de Yoga em 2002. Em 2007, fez o módulo I de formação em Yoga com Pedro Kupfer. Em 2008 concluiu a formação em Ayurveda na Clínica Dhanvantari em São Paulo, com Dr. Luiz Guilherme Corrêa Neto.

Na Índia, fez estágio em Ayurveda e Pregnancy & Baby Care na “School of Ayurveda & Panchakarma”, Kannur, Kerala, em Janeiro de 2009 e no Arya Vidya Peetam Trust, AVP Hospital, Coimbatore, em janeiro de 2010.

Atualmente trabalha na em seu consultório, atendendo a consultas de Pediatria e Puericultura, permeadas pela Homeopatia, pelo Ayurveda e pela sua bagagem de maternagem.

Escreve o blog PEDIATRIA INTEGRAL no Portal de maternidade ativa Vila Mamífera.

TODOS SOMOS UM